The Kodak Hula Show

vovo havai    “Costumávamos viajar para os nossos destinos sem reservar hotéis. Naquela época, isso era muito comum, pois só tínhamos essa opção via agência de viagens. Meu marido gostava de chegar ao destino e bater de hotel em hotel à procura de hospedagem. Era uma tradição em nossas viagens, mas na verdade eu acredito que ele fazia isso por puro divertimento. No Havaí, nossa missão foi relativamente mais fácil, pois havia pouquíssimas opções na orla. Paramos na porta de um prédio muito moderno (um dos únicos), pé na areia e meu marido resolveu descer. Alguns minutos depois, ele voltou muito feliz, pois havia encontrado vaga na primeira tentativa. O Hotel Sheraton foi o escolhido, com quartos grandes e espaçosos.

    Fiquei encantada com a ilha do Havaí. Nas ruas, homens e mulheres andavam com roupas floridas. Era um costume local confeccionar camisas e vestidos do mesmo tecido. Algumas famílias estendiam essa tradição para os filhos. Todos ficavam iguais, algo bem engraçado. Para se locomover na ilha, as opções eram buggy ou bonde. Nos alugamos um buggy para passearmos nas praias. Um dos pontos turísticos em que resolvemos parar foi o píer de Pearl Harbour. No local, muitas casas simples formavam um complexo de moradia para ex-soldados e enfermeiras que participaram da guerra. Nem sinal do espaço cultural que ha hoje no lugar.

     Em uma das nossas noites em Oahu, fomos assistir ao tradicional luau havaiano. Na época, o mais famoso era o The Kodak Hula Show, no Kapiolani Park. A marca fazia muito sucesso e patrocinava o show desde 1937. Não tinha muito glamour, tampouco jantares sofisticados. Todos os dançarinos eram nativos e estavam vestidos a caráter. Neste ano (2014), voltei para o Havaí com a minha família.  A cidade cresceu e muitos prédios surgiram ao redor da orla. Antigamente, o comercio se resumia apenas ao shopping Ala Moana e uma feirinha de artesanato. Hoje, houve uma invasão japonesa, logo capitalista na ilha. No entanto, uma coisa não mudou no Havaí: o respeito e a educação. A cidade ficou mais moderna, as pessoas não andam mais com roupas iguais, mas a hospitalidade ficou marcada para sempre na cultura desse povo”.

 PS. Bon Voyage!

Deixe um comentário