A despretensiosa jóia mexicana – Tulum

   As ruínas de Tulum estão entre as grandes atrações da Península de Yucatan. A zona arqueológica, uma das mais preservadas do México, revela uma antiga cidade construída pelo povo maia. A fortaleza abrigava altares ancestrais, um importante porto e foi habitada antes da invasão espanhola. A cidade foi completamente abandonada em 1598, apenas oitenta anos após a sua construção. O local foi transformado em uma atração turística e localiza-se a 63 quilômetros de Playa del Carmen. Aberto das 8h às 17h, o parque se divide em duas áreas: na entrada estão as lojas, restaurantes e balcão de informações. Depois de um trecho está a bilheteria e após um quilometro estão as ruínas. Esse caminho pode ser feito de trenzinho e o transporte custa US$ 3,00 por pessoa. A passagem estreita é a porta de entrada para o enorme parque. A principal estrutura é o Castelo e a partir dele que se tem a melhor vista com o mar das Caraíbas ao fundo. Os jardins são extremamente bem cuidados e todo o caminho sinalizado. Não estranhe encontrar com alguma iguana, elas estão por toda a parte. É um passeio tranquilo, que não requer muito preparo físico.

DSC03570 DSC03572 DSC03573 DSC03577 DSC03578 DSC03580

COMO CHEGAR

    Os meios de transportes que levam ao parque são bem variados. A partir de Playa del Carmen, o mais em conta é o ônibus, com saídas diárias da rodoviária e custo individual de US$ 3,00. O mais indicado é alugar um carro ou contratar um motorista. Essa foi a minha escolha e o simpático Santiago nos acompanhou durante todo o dia. Estávamos em seis pessoas e a van custou US$ 22,00 por pessoa.

DSC03584 DSC03585

O QUE VISITAR (Além das ruinas)

    Na prática, a cidade de Tulum está dividida em duas partes. Uma delas é uma cidadezinha (pueblo) que se desenvolveu à beira da estrada 307 (batizada como Avenida Tulum nos limites urbanos), que leva à Cancún. A outra é a Tulum praiana, infinitamente mais convidativa e que se estende por uma faixa de areia de 15 quilômetros. Essa zona abriga hotéis “ecochiques” e restaurantes badalados. Nosso almoço foi no charmoso Casa Banana, no final da avenida e foi uma ótima experiência de fim de tarde. Para entender um pouco mais sobre a rotina dos visitantes de Tulum, siga essas dicas: acordar cedo, ficar durante o dia na praia e sair a partir das 18hs para os restaurantes.  Outra programação, próxima do local, são os cenotes – rios localizados em cavernas. Na maioria deles é possível praticar mergulho com snorkel, e alguns são tão profundos que permitem até o uso de cilindro.

E ai, viajante, já foi para Tulum? Compartilhe aqui sua experiência!

PS. Bon Voyage!

2 comentários

  1. FLÁVIA CARNEIRO em Responder

    oLÁ, TERIA COMO ME PASSAR O CONTATO COM SANTIGO QUE LEVOU VOCÊS PARA TOLUM?

    OBRIGADA

    1. Priscila em Responder

      Flávia, você pode encontrar todas as informações no site da empresa: http://www.wayak.mx/ ótima viagem!

Deixe um comentário