Cruzeiro dourado

    Luiza, 88 anos – “ No ano de 1997 completei cinquenta anos de casada. Como de costume, em todas as datas comemorativas, meu marido planejava algo especial. Para nossas bodas de ouro, ele pensou em algo diferente, uma viagem que ainda não havíamos realizado: um cruzeiro. Viajar de navio estava começando a ganhar notoriedade no Brasil e não haviam muitas empresas que vendiam pacotes. Essa ideia surgiu quando ele viu um folheto da empresa Premier Cruises em uma agência de um conhecido. Seus barcos vermelhos faziam cruzeiros para Bahamas, a partir de Fort Lauderdale, e nesse ano foi lançado um navio que navegava durante sete dias por algumas ilhas caribenhas.

Premier Cruise    O porto de Aruba era considerado o maior do Caribe e foi o nosso ponto de partida. O navio Seawind Crow parava nas ilhas: Curação, Santa Lucia e Barbados. A cada dois dias navegando, atracávamos no porto da cidade e tínhamos algumas horas para visitá-la. Em nossa primeira parada, conhecemos Curação e seu vilarejo de casas coloridas. Em Caracas tivemos a oportunidade de conhecer um fábrica de Murano. Nosso guia nos levou para acompanhar todo o processo de criação e após isso, adquirimos alguns souvenirs de lembrança. Em Santa Lucia, visitamos uma lagoa azul que muitos diziam que o filme “A Lagoa Azul” havia sido filmado lá.

   Em uma das nossas noites no navio, durante o jantar com o comandante, houve surpresa para os casais que comemoravam aniversário de casamento. Todos  foram convidados para ir a frente e renovar os votos. Houve uma missa simbólica e após a cerimônia, um jantar de comemoração. Muitos casais, de diferentes nacionalidades, nos cumprimentaram pelo nosso aniversario. Tenho ótimas recordações daquela viagem e não imaginava que marcaria tanto a minha vida. Foi a última viagem realizada com o meu marido e logo após o nosso retorno, ele já começou a dar sinais de Alzheimer. Viajar é isso, recordar bons momentos e é a nossa maior herança. Guardo para sempre na memória aqueles dias de muita comemoração”.

cruzeiroPS. Bon Voyage!

2 comentários

  1. Paula em Responder

    Adorei ler essa coluna! Estou emocionada com cada história da sua vó.
    Li com vontade de quero mais, como se fosse um livro! Aliás, não poderia ser esta uma opção?
    Espero mais textos da sua Avó, que me parece encantadora!

    1. Priscila em Responder

      Paula, que demais! Obrigada ;) Preciso escrever mais para a Coluna da Vova, são tantas histórias. Sabe que é uma ótima ideia o livro, seria um sonho realizado! Beijos

Deixe um comentário