Arquivo mensal: December 2014

Bucket List 2015

    Tenho um costume de fazer listas para tudo. Essa mania cultivo desde cedo, lembro quando era mais nova e ia fazer uma viagem, preparava uma lista com as coisas que precisava levar. Hoje em dia isso não é muito diferente, escrevo sobre as tarefas do dia, restaurantes que pretendo visitar, livros que gostaria de ler e, claro, lugares que quero conhecer (a famosa #bucket list). A cada ano novo a lista é renovada e abaixo compartilho com vocês os destinos que estão na minha lista!

  • Filipinas

Palawan_Island    Esse destino já comentei no Instagram (segue lá @ps_bonvoyage) e está em primeiro lugar na minha #bucketlist. O lugar tem um cenário paradisíaco: praia, coqueiros e água azul turquesa. No ano passado, a praia El Nido, em Palawan, foi eleita pela CNN uma das100 praias mais bonitas do mundo. Além da ilha, Boracay, a capital das Filipinas, é um dos principais destinos turísticos do país, devido às suas famosas praias, grandes resorts e diversos pacotes de viagem Filipinas. É uma região bastante explorada por agências de viagem do mundo inteiro, bem diferentes das outras ilhas, como Cebu. 

  • Tanzania, Africa

zanzibar    A África esta entre os principais destinos turísticos do mundo. Em um crescimento exponencial está a África do Sul, com uma ótima estrutura aos amantes de aventura e safáris. No entanto, um lugar se destaca pelo litoral é a Tanzânia. A pequena ilha de Zanzibar, na costa leste do continente, é ainda pouco conhecida dos turistas e preserva um ambiente rústico intocado. Alguns resorts já estão presente na ilha e a cidade de pedra é um dos centros históricos mais preservados do país.

  • Tokyo, Japão

fuji_japao

    O Japão esta presente na minha lista de cidades que gostaria de conhecer há algum tempo! Devido a distância e alto custo da viagem, o destino sempre vai ficando para depois. No entanto, sou fascinada pela cultura, tradição e culinária do país. No roteiro não pode faltar a capital Toquio, com castelos suntuosos e encantadores jardins assimétricos, além do icônico Monte Fuji e a estação de esqui em Hokkaido.

  • Singapura

Marina-Bay-Sands-hotel1    Singapura se destaca entre os países dos tigres asiáticos e é sinônimo de desenvolvimento, tecnologia e superação. No ano de 2013 foi uma das cidades mais visitadas do mundo (comentei neste post – aqui) e considerada uma das portas de entrada do continente Asiático. Quem não sonha em tirar uma foto na monumental piscina do Marina Sands Bay? Essa é só uma das inúmeras atracões! 

  • Fernando de Noronha

Fernando de Noronha

    Um destino brasileiro não pode faltar na lista, certo? Sou louca para conhecer Fernando de Noronha e não precisa de muitas explicações. O lugar é paradisíaco, totalmente preservado e com uma gastronomia de primeira.

  • Calgary, Canada

Calgary Canada

     O Canada é um pais riquíssimo em belezas naturais: montanhas nevadas, florestas centenárias, vastos campos abertos e lagos com águas azul-esmeralda. No estado de Calgary, o Lake Louise e Moraine são os grandes destaques da região. Para encontrar os lagos descongelados é recomendado visitar entre os meses de Maio a Setembro e, assim aproveitar todas as trilhas do local.

  • Fez, Marrocos

Fes-Morocco-46

    Por mais de uma década Marrakesh tem sido o destino mais visitado no Marrocos. No entanto, um lugar a apenas 240km da capital tem chamado a atenção dos viajantes por alguns motivos. Fez é uma cidade calma e com uma excelente oferta de hoteis e restaurantes.

  • Malta

Ilha-de-Malta

    O visitante que chega a Malta é tomado pela paisagem multifacetada do pequeno arquipélago. Afinal, estar no meio caminho entre Sicília e Tunísia significa ser praticamente uma ponte entre Europa e África. O pequeno país tem mais de 7000 anos de história e agrada variados públicos. Devido sua colonização britânica, a maioria do território fala inglês. Outro ponto que também não decepciona é sua rica gastronomia, com pescados, pães, vinhos e queijos.

  • Queenstown, Nova Zelandia

Winter scene in the snow, Queenstown. New Zealand.

    Começar a viagem na Nova Zelandia por Queenstown faz todo sentido aos amantes de esportes radicais. No local, é possível pular de um bungee jump de mais de 100 metros de altura, saltar de paraquedas, balançar como um pêndulo sobre um cânion e voar de paraglider. Mas essa cidadezinha é muito mais do que uma fonte inesgotável de adrenalina, a beira do Lago Wakatipu, azulíssimo, o lugar é um programaço para quem quer apenas praticar o “contemplacionismo”. Faço parte do segundo grupo ;)

E aí, viajantes, gostaria de saber a lista de voces! 

PS. Bon Voyage!

*** Todas as imagens foram extraídas do Google

 

Sob o sol da Provence – Cassis

_DSC1800   Quando comecei a pesquisar sobre os principais pontos da Provence algo que me chamou atenção foi a cidade de Cassis, entre Marselha e Toulon. O vilarejo, com características provincianas, possuía um colorido diferente em seu ambiente, além de uma ótima posição geográfica: à beira do Mediterrâneo.

    A antiga vila de pescadores é uma espécie de St Tropez dos anos 50, sem aquele glamour absoluto e uma concentração de iates e carros extraordinários dos dias de hoje. É um lugar aconchegante, com um porto bem servido e restaurantes à beira mar. O local também abriga uma das principais atrações do sul da França: Calanques, estreitas enseadas entre rochas brancas e águas com um lindo tom de azul. Esse foi o gran finale do meu roteiro na Provence e abaixo compartilho com vocês todas as dicas:

_DSC1810

    Apenas vinte e quatro quilômetros separam Marselha de Cassis. A terceira cidade mais populosa da França é porta de entrada principal do sul do país e a maneira mais simples de chegar ao vilarejo de Cassis. Com diversas saídas diárias, o trem SNCF (French Railways) realiza o trajeto em apenas 20 minutos e o restante do percurso é completado por um ônibus local. No entanto, quem opta em fazer um “day trip” a partir de Aix en Provence (a cidade foi a minha base na região e tem mais detalhes do roteiro aqui e aqui), é recomendado alugar um carro para desfrutar os 49km até Cassis. O trajeto, com apenas dois pedágios (não esqueçam de levar moedas, pois muitas vezes a máquina não aceitam dinheiro) é realizado pela rodovia A8, muito ampla e bem sinalizada.

_DSC1815

    Ao chegar em Cassis tudo fica mais vivo e vibrante. Aquele primeiro contato com o mediterrâneo, após alguns dias explorando o interior do país, é memorável. Visitei a cidade durante um domingo e o local estava em seu ápice do agito. As ruas borbulhavam com milhares de visitantes em busca de objetos nas barracas de rua e feiras provençais. A primeira coisa que chama atenção no vilarejo é um lindo castelo de 1381 instalado no alto de uma montanha – Chateau de la Maison dês Baux, que domina a entrada do porto e emoldura a cidade. O porto, sempre lotado de barcos de pequeno porte, possui um formato retangular e é cercado por um calçadão onde estão instalados dezenas de cafés/restaurantes com seus toldos coloridos e mesinhas na calçada. É neste local que é vendido os tickets para o passeio de barco às Calanques com duração de 1hs, 2hs ou 3hs, dependendo da quantidade de Calanques a ser visitada. O tour, a partir de 16 EUR, passa pelas falésias mais bonitas, mas confesso que deixa com água na boca: não é possível desembarcar nem sequer pular na água para um mergulho rápido.

_DSC1813 _DSC1827

    Uma alternativa para aproveitar o passeio são as trilhas que ladeiam as Calanques. O início da caminhada é a partir da falésia Port Pin, um pouco afastada do centro da cidade e é possível parar o carro em um estacionamento bem próximo (seguir as placas “Presqu’île”). No parque nacional, as trilhas são diferenciadas por cores, revelando o nível de dificuldade de cada uma. A trilha azul possui as vistas mais significativas e a caminhada de uma hora leva até a mais famosa das calanques: En Veau. 

    Um outro passeio altamente recomendado é o de caiaque pelas calanques. O tour com guia tem duração de três horas e passa pelas praias mais bonitas. A empresa Destination Calanques oferece o serviço ao custo de 35 EUR por pessoa. 

_DSC1824 _DSC1854 _DSC1848

  • Restaurantes

    Comer pode ser um dos maiores prazeres de uma viagem, tanto pela beleza do restaurante quanto pelos novos sabores descobertos à mesa. Essa frase ganha ainda mais sentido quando estamos falando da culinária francesa, com seus aromas e sabores típicos. Em Cassis, muitos restaurantes oferecem frutos do mar em seu cardápio. Portanto, aos que veneram a comida, uma dica é o Le Naio, situado nas costas do porto e com seu deck virado para a praia. Seguindo a mesma linha – vista e ótima comida, o La Villa Madie oferece um cardápio amplo com influencias italianas. 

_DSC1799

    Situado nos arredores de Marselha, o Le Petit Nice é um restaurante tradicional e indicado para quem aprecia uma gastronomia mais requintadas. O chef Gérald Passédats, terceira geração de sua família a tomar conta do local, inova em suas criações e apresenta verdadeiras obras primas em seus pratos. A dedicação de Passédat rendeu ao restaurante sua terceira estrela no Guia Michelin em 2008.

    E ai, viajantes, gostaram do post? A saga pelo sul da Franca nao terminou! No próximo post comento sobre a minha viagem pela Cote d’Azur.

PS. Bon Voyage!

Destination to watch – San Miguel de Allende

    Quando pensamos em um destino mexicano, logo vem em nossa mente: praias paradisíacas, calor, mariachis, tacos, tequila, entre outros. De fato, o México engloba tudo isso e se destaca entre os principais destinos turísticos da América do Norte! Sua notoriedade é tanta que o lugar integra com bastante frequência as listas e pesquisas de consagradas revistas de turismo em todo o mundo. No post de ontem, compartilhei  uma pesquisa da renomada revista Conde Nast Traveller com os melhores hotéis eleitos pelos leitores no ano de 2014 (aqui) e quatro cidades do país ganharam evidência: Viceroy Riviera Maia, Playa del Carmen; St. Regis Punta Mita, Riviera Nayarit e Excellence Playa Mujeres, Quintana Roo. Até então nenhuma surpresa, por se tratar de destinos paradisíacos, no entanto, algo que chamou a atenção é a presença da histórica cidade de San Miguel de Allende.

san miguel 1    Localizada no centro do país, São Miguel de Allende virou notícia quando disparou para o primeiro lugar na lista das top 25 cidades do mundo oferecida pela Conde Nast Traveller no ano passado. A cidade, a poucos quilômetros da capital – cidade do México, não possui praia como Cancun, Cozumel ou Los Cabos mas se destaca pela diversidade cultural e gastronômica.

    Recentemente listada como Patrimônio Cultural da UNESCO , San Miguel de Allende é conhecida por sua preservada arquitetura colonial. O edifício mais alto da cidade, com uma fachada de pedra calcária rosa, é a Paróquia de São Miguel Arcanjo. A fachada gótica da igreja serviu de inspiração para a Sagrada Família de Gaudí, em Barcelona e , segundo a lenda, seu arquiteto, Zeferino Gutierrez utilizou um cartão postal para recriá-la. Além deste ponto, seu centro histórico – El Jardin, é distribuído em ruas de paralelepípedo, becos e caminhos sem semáforos,  grande destaque para o viajante. No local é possível visitar galerias de arte, lojas de souvenirs, boutique e estabelecimentos antigos como a farmácia Botica De Santa Teresita, que distribuí remédios homeopáticos de baixo custo desde o século passado.

calles_empedradas_san_miguel de allende    A pitoresca cidade é reduto de artistas e alguns locais merecem uma visita, como a La Aurora – antiga fábrica de tecidos que foi transformada em uma galeria de arte. As máquinas bem como a estrutura em geral foram preservadas e, no exterior, diversas lojas e restaurantes ocupam o jardim. Próximo ao local está o Mask Museum,  um lugar com um acervo enorme de máscaras utilizadas em rituais e festas em todo o país, uma verdadeira aula da cultura mexicana.

   Outro ponto que chama a atenção no destino é a gastronomia. Enrique Olvera, um dos chefs mais proeminentes no México, supervisiona Moxy Restaurant no renomado Hotel Matilda. Localizado em um pátio do hotel, o menu enfatiza pratos criativos feitos com ingredientes frescos e de origem local. O mercado municipal é outra parada obrigatória , ótimo para conhecer mais sobre a cultura e os alimentos da região. A pedida para o final do dia é Luna Rooftop Tapas Bar no the Rosewood Resort, o local para apreciar o pôr do sol.
San-Miguel-de-Allende-dComo chegar?
A melhor forma de chegar a San Miguel de Allende é de carro a partir da cidade do México. O trajeto total são de 263 km em uma estrada local. Vale combinar o destino com alguma praia, pois os principais voos partem da capital!
Gostaram do post? Deixe o seu comentário.
PS. Bon Voyage!

Reader’s Choice Awards – Conde Nast Traveler

   PicMonkey Collage    Anualmente a respeitada revista de turismo Conde Nast Traveler faz uma pesquisa com seus leitores para eleger os melhores hotéis, resorts, destinos e cruzeiros do mundo. A Reader’s Choice Awards identifica o que mais agradou o viajante durante este período, tornando-se as apostas do ano seguinte. A conceituada pesquisa já está em sua décima sexta edição e, este ano, revela a Africa como um destino para ficar de olho no ano de 2015. Voltada exclusivamente para o viajante, a enquete recebeu a participação de 77.000 leitores através de 1 milhão de votos. Para nossa alegria, o veículo disponibilizou este mês o primeiro resultado: os 100 melhores hotéis do mundo.

    Um resort na África do Sul com decoração suntuosa (em um cenário com montanhas ao redor) e um retiro de luxo na Nova Zelândia, que oferece vistas deslumbrantes do Oceano Pacífico, receberam o título de melhor resort e hotel em todo o mundo pelos leitores da Condé Nast Traveler, dos EUA. A pesquisa é baseada em atendimento da equipe, localização, amenidades, entre outros.

dubai    Além disso, a lista de vencedores inclui o One&Only The Palm, em Dubai, eleito número um no Oriente Médio e o One&Only Cape Town, número 1 da lista de “Melhores Hotéis da África” em 2014. O One&Only Palmilla, resort icônico em Los Cabos, no México, foi reconhecido 4º na lista dos “Melhores Resorts do México (Pacifico).

costa rica    O primeiro destino caribenho a integrar a lista é Santa Lucia com o seu paradisíaco Nayara Springs e em 15º lugar o Viceroy Riviera Maya em Playa del Carmen (tem varias dicas do destino aqui). Ficou curioso para saber sobre os outros vencedores? O resultado completo esta AQUI.

E  ai, viajante, gostou do post? Durante a temporada de pesquisas dos principais canais de turismo, vale se inspirar para o próximo destino!

PS. Bon Voyage!

Dicas para cancelar sua viagem

DSC01352   Organizar uma viagem exige tempo, dedicação, pesquisa e, acima de tudo, planejamento! No entanto, em alguns momentos o programado não sai conforme o esperado e é necessário cancelar tudo. Comentei no instagram (segue lá: @ps_bonvoyage) que tinha uma viagem programada para Miami, mas por motivos pessoais acabou não acontecendo. Neste momento, entra toda a burocracia dos cancelamentos e milhares de dúvidas. Infelizmente não é a primeira vez que preciso cancelar uma viagem e abaixo compartilho com vocês as minhas experiências:

  • Cancelamento Passagens aéreas

    Vou começar pelo ponto crucial do cancelamento: passagens áreas. O aéreo é o item mais caro de uma viagem e corresponde, em média, a 30% do orçamento. Considerando apenas voos internacionais (que foi o meu caso), as leis que regulamentam o direito do consumidor no Brasil são efetivas, no entanto se o viajante não tem conhecimento do código civil acaba pagando multas abusivas. As cias aéreas normalmente disponibilizam o cancelamento total da viagem, remarcação do bilhete ou reembolso. No entanto, quem vai ditar a regra da anulação do voo é o tipo de bilhete adquirido. No momento da compra, muitas vezes não lemos as letras miúdas das regras tarifárias e é neste instante que precisa ter atenção! Por isso vale o alerta: ler o “regulamento” antes da compra é fundamental, pois é nele que estão previstas as multas em caso de cancelamento ou alteração de data e nome do passageiro. No Brasil, as cias aéreas são obrigadas a dar o reembolso da passagem (mesmo que esteja escrito na passagem que não é permitido), no entanto é cobrado junto uma multa de cancelamento até 10% correspondente do valor. Agora optar pela remarcação da passagem pode ser uma opção menos viável, pois não existe uma lei que regulamenta o preço da multa cobrada e aplica a variação da tarifa no dia.

    Uma dica é sempre comprar a passagem pelo próprio site da cia aérea. No meu caso, adquiri pelo próprio site da empresa aérea Delta e o processo de cancelamento foi bem simples. Efetuei o cancelamento até as 00:00hs do dia do embarque e gerou uma multa de 10% no valor da passagem. No entanto, bilhetes comprados por agências especializadas como Submarino Viagens, Decolar, Expedia, entre outras só podem ser remarcados ou reembolsados pela própria companhia. As empresas aéreas não podem alterar diretamente esses bilhetes, mesmo o cliente vá à loja da empresa aérea e pague a taxa. Muitas vezes, eles precisam de pelo menos 24 horas para reemitir um bilhete, o que pode causar transtornos a passageiros que perderam voo e desejam voar na mesma data. Além disso, as agências e sites podem aplicar taxas adicionais às das empresas aéreas para proceder as mudanças ou até não reembolsar o bilhete. Portanto, muito cuidado!

    Algo que já aconteceu comigo e vale como regra é antes de pedir o reembolso, verifique se seu voo foi alterado pela empresa aérea. Se a mudança for maior que 15 minutos, você pode pedir o reembolso ou remarcar o bilhete sem nenhuma multa e sem diferença de tarifa. O ideal é esperar até 72h antes do voo antes de pedir o reembolso, período onde os ajustes de malha acabam ocorrendo. Importante: informar que houve alteração no voo na hora de pedir o reembolso.

  • Hotéis

    Seguindo a regra das passagens aéreas, é importante verificar as políticas do hotel no ato reserva. Em alguns casos, tipos de quartos são não reembolsável (non refundable) depois de reservados. Além disso, pela legislação internacional de hotelaria , cancelamento normalmente é reembolsável desde que feito com antecedência (entre 48 e 24 horas antes da chegada) para que possam vender a unidade paga. Algumas formas de ressarcimento é a emissão de voucher (com prazo de validade) ou o débito em cartão de crédito. 

DSC02841   Aqui blog indico o site de reservas booking.com para hotéis e, neste caso, considero melhor do que efetuar a reserva diretamente com o staff do hotel. No ano passado, quando viajei para o Canadá acabei reservando dois hotéis durante o mesmo período em Whistler. Como a reserva foi feita pelo site do booking entrei em contato com o suporte ao consumidor. Prontamente o atendente entrou em contato com a gerência dos dois hotéis e explicou o caso, não gerando nenhum custo adicional ou taxa de cancelamento. Desta forma, certifique-se a empresa que irá auxiliar nesta etapa do roteiro. 

  • Reserva de carros

Eis o menor dos problemas! A maioria das empresas americanas não cobram nenhuma taxa de cancelamento desde que seja feito com uma antecedência de até 24 horas. Em caso de no show, não comparecimento, a empresa cobrará uma multa que será debitado no cartão da reserva.

Dica PS. Bon Voyage: Vc sabia que alguns seguros viagem incluem reembolso em caso de cancelamento da viagem? Sim, isso existe! Consiste na indenização das despesas efetuadas até um valor estipulado em contrato. Vale conferir se o seu seguro cobre esse ponto!

PS. Bon Voyage!