Sob o sol da Provence – Cassis

_DSC1800   Quando comecei a pesquisar sobre os principais pontos da Provence algo que me chamou atenção foi a cidade de Cassis, entre Marselha e Toulon. O vilarejo, com características provincianas, possuía um colorido diferente em seu ambiente, além de uma ótima posição geográfica: à beira do Mediterrâneo.

    A antiga vila de pescadores é uma espécie de St Tropez dos anos 50, sem aquele glamour absoluto e uma concentração de iates e carros extraordinários dos dias de hoje. É um lugar aconchegante, com um porto bem servido e restaurantes à beira mar. O local também abriga uma das principais atrações do sul da França: Calanques, estreitas enseadas entre rochas brancas e águas com um lindo tom de azul. Esse foi o gran finale do meu roteiro na Provence e abaixo compartilho com vocês todas as dicas:

_DSC1810

    Apenas vinte e quatro quilômetros separam Marselha de Cassis. A terceira cidade mais populosa da França é porta de entrada principal do sul do país e a maneira mais simples de chegar ao vilarejo de Cassis. Com diversas saídas diárias, o trem SNCF (French Railways) realiza o trajeto em apenas 20 minutos e o restante do percurso é completado por um ônibus local. No entanto, quem opta em fazer um “day trip” a partir de Aix en Provence (a cidade foi a minha base na região e tem mais detalhes do roteiro aqui e aqui), é recomendado alugar um carro para desfrutar os 49km até Cassis. O trajeto, com apenas dois pedágios (não esqueçam de levar moedas, pois muitas vezes a máquina não aceitam dinheiro) é realizado pela rodovia A8, muito ampla e bem sinalizada.

_DSC1815

    Ao chegar em Cassis tudo fica mais vivo e vibrante. Aquele primeiro contato com o mediterrâneo, após alguns dias explorando o interior do país, é memorável. Visitei a cidade durante um domingo e o local estava em seu ápice do agito. As ruas borbulhavam com milhares de visitantes em busca de objetos nas barracas de rua e feiras provençais. A primeira coisa que chama atenção no vilarejo é um lindo castelo de 1381 instalado no alto de uma montanha – Chateau de la Maison dês Baux, que domina a entrada do porto e emoldura a cidade. O porto, sempre lotado de barcos de pequeno porte, possui um formato retangular e é cercado por um calçadão onde estão instalados dezenas de cafés/restaurantes com seus toldos coloridos e mesinhas na calçada. É neste local que é vendido os tickets para o passeio de barco às Calanques com duração de 1hs, 2hs ou 3hs, dependendo da quantidade de Calanques a ser visitada. O tour, a partir de 16 EUR, passa pelas falésias mais bonitas, mas confesso que deixa com água na boca: não é possível desembarcar nem sequer pular na água para um mergulho rápido.

_DSC1813 _DSC1827

    Uma alternativa para aproveitar o passeio são as trilhas que ladeiam as Calanques. O início da caminhada é a partir da falésia Port Pin, um pouco afastada do centro da cidade e é possível parar o carro em um estacionamento bem próximo (seguir as placas “Presqu’île”). No parque nacional, as trilhas são diferenciadas por cores, revelando o nível de dificuldade de cada uma. A trilha azul possui as vistas mais significativas e a caminhada de uma hora leva até a mais famosa das calanques: En Veau. 

    Um outro passeio altamente recomendado é o de caiaque pelas calanques. O tour com guia tem duração de três horas e passa pelas praias mais bonitas. A empresa Destination Calanques oferece o serviço ao custo de 35 EUR por pessoa. 

_DSC1824 _DSC1854 _DSC1848

  • Restaurantes

    Comer pode ser um dos maiores prazeres de uma viagem, tanto pela beleza do restaurante quanto pelos novos sabores descobertos à mesa. Essa frase ganha ainda mais sentido quando estamos falando da culinária francesa, com seus aromas e sabores típicos. Em Cassis, muitos restaurantes oferecem frutos do mar em seu cardápio. Portanto, aos que veneram a comida, uma dica é o Le Naio, situado nas costas do porto e com seu deck virado para a praia. Seguindo a mesma linha – vista e ótima comida, o La Villa Madie oferece um cardápio amplo com influencias italianas. 

_DSC1799

    Situado nos arredores de Marselha, o Le Petit Nice é um restaurante tradicional e indicado para quem aprecia uma gastronomia mais requintadas. O chef Gérald Passédats, terceira geração de sua família a tomar conta do local, inova em suas criações e apresenta verdadeiras obras primas em seus pratos. A dedicação de Passédat rendeu ao restaurante sua terceira estrela no Guia Michelin em 2008.

    E ai, viajantes, gostaram do post? A saga pelo sul da Franca nao terminou! No próximo post comento sobre a minha viagem pela Cote d’Azur.

PS. Bon Voyage!

3 comentários

  1. Henrique em Responder

    Em que epoca voce foi a cassiS? Outubro? Como é o tEmpo? OBrigado

  2. Sabrina em Responder

    Priscila, estou programando uma viagem para a italia, mas só posso ir no final de outubro/início de novembro. existe como aproveitar praia nesta época? já fiz uma viagem pelo sul da frança, saindo de Barcelona e indo até roma, mas em setembro, e tinha muito sol. desta vez quero aproveitar melhor os vilarejos, a praia, o clima ameno. vc recomenda esta época? podemos fazer aix en provence como base (já conheci e achei a cidade linda). por favor, me dê dicas de roteiro que eu possa aproveitar esses vilarejos nesta época.

    1. Priscila em Responder

      Sabrina, infelizmente nessa época na Itália você precisa contar com o fator “sorte”! Digo isso porque já fui para a Itália em Outubro (na região norte) e peguei muita chuva/frio, mas isso pode depender da semana que você vai pegar na sua viagem! Caso queira aproveitar praia, uma sugestão para o seu roteiro é explorar a região sul. Na Sicília, a chance de encontrar dias de sol é muito grande, assim como na região da Puglia (da uma olhada nos vilarejos Polignano al Mare e Alberobello) e Tropea na Calábria. Se quiser combinar um destino incrível (que tem um clima ameno durante o ano inteiro) ao lado da Itália, considere uma visita a ilha de Malta. Certamente os dias de sol serão maiores!

Deixe um comentário