Onde se hospedar em Zanzibar?

_DSC3892   Quando se pensa em Zanzibar algo que vem em mente é o seu cenário deslumbrante: mar com água azul transparente, praias intocáveis, lugares paradisíacos e, com tantos atributos, um destino caro para se hospedar. Engano! A ilha está entre os lugares mais democráticos da Africa e não é a toa que é parada obrigatória dos mochileiros europeus. Seus preços são bem convidativos e não se assemelha em nada da vizinha badalada – Maldivas. Com um jeitão exótico, o destino tem tudo para promover uma viagem inesquecível ao viajante. No entanto, é de se esperar um lugar repleto de contrastes: o país ocupa a posição 152º do ranking de IDH (índice de desenvolvimento humano) da ONU, atrás de lugares como Bangladesh, Myanmar e Paquistão. Além de trombar com a pobreza, o hedonismo esbarra na questão cultural: 99% da população de Zanzibar é muçulmana e vive de acordo com uma conduta que não é compatível com biquíni, bebida e demonstrações de afeto em público. Com esse cenário, a dica é hospedar-se em um lugar com uma proposta sustentável, sem aquela opulência de hotéis grandiosos. Abaixo compartilho detalhes da minha experiência:

_DSC4091

                              Paje Beach

    Quando comecei a pesquisar sobre o roteiro, algo que mais encontrava nos sites era “hospede-se ao norte da ilha, com as praias mais bonitas“. De fato, isso é inquestionável, no entanto a maioria dos hotéis localizados nessa região possuem características de resorts e, na maioria das vezes, all inclusive. Na contramão do agito, ao sul da ilha, nos arredores de uma antiga vila de pescadores, está uma das praias mais pacatas do território – Paje Beach. A praia é referência em esportes aquáticos e mergulhos, em especial  scuba diving. Dentre as poucas opções de hotéis e pousadas na orla, está o recém inaugurado White Sands Luxury Villas (hotel acaba de ser eleito pela CNN um dos “23 hotéis incríveis inaugurados em 2014“). Por lá, a privacidade do casal é levado a sério. São apenas 22 vilas, distribuídas em um terreno enorme, e servida por um simpático grupo de funcionários. O quarto/ vila possui duas dependências, sendo que na primeira está uma pequena cozinha com sofás para descanso e a segunda um quarto espaçoso, com uma cama king centralizada e várias portas de madeira que levam a área de lazer. São dois banheiros, um interno e outro externo com banheira: só assim para se refrescar do forte calor. Os móveis são feitos de madeira rústica, em grande parte aproveitada de antigos barcos de pescadores – o resultado é lindo, estiloso e sustentável. O ponto alto da vila é a área da piscina, com uma temperatura ideal pós praia. 

_DSC3936 _DSC4006 _DSC4174 _DSC4204

    O hotel propõe um luxo sem ostentação e não impõe regras ao viajante. A rotina é livre, sem obrigações e horários pré determinados. O café da manhã está  incluso no valor da  diária e possui um menu com uma variedade de pães, frutas e sucos. As outras refeições podem ser feitas no hotel (pago a parte) e o menu segue a proposta sustentável do hotel. Portanto, não espere pratos elaborados. O foco é nos ingredientes locais e você só tem a ganhar com isso: lagosta, caranguejo, frutas tropicais, peixes fresquinhos, pescados ali perto. Valor médio de 30 USD por pessoa.

_DSC4451 _DSC4206

     O local ainda conta com um escola de preparo para os entusiastas de kitesurf. Um grupo simpático de holandeses faz as vezes de instrutor e com duas aulas é possível arriscar algumas manobras nas águas mornas do Indico. A prática do kitesurf depende exclusivamente das condições do vento e clima, por isso a escola fica fechada nos meses de Março a Maio quando é a época de chuvas em Zanzibar. 

_DSC4093

    Outro ponto alto do hotel é o atencioso serviço do concierge. Seguindo o lema principal da ilha “Hakuna Matata” a representante passa para os hóspedes os highlights e furadas da ilha. Bom o texto ficou grande demais e esse assunto vai ficar para o próximo post! 

PS. No post anterior {aqui} comento sobre outras opções de hospedagem na ilha. 

PS. Bon Voyage!

5 comentários

  1. Ana mattos em Responder

    Nossa! Nunca me inspirei tanto em fazer uma viagem!!! Estou surtando de vontade de conhecer zanzibar!!! Td dia olho suas fotos no instagram e Ja estou procurando valores!!! Muito obrigada por me dar a oportunidade de conhecEr melhor esse paraiso! Torca por mim!!! Beijos!!

    1. Priscila em Responder

      Ana, ganhei o dia com o seu comentário :) Fico tão feliz em inspirar as pessoas e motivá-las a conhecer lugares diferentes!! A viagem a Zanzibar foi uma experiência mágica e realmente torço para que você consiga fechar essa viagem!! Beijoss

  2. Jessica em Responder

    Olá. Amei as fotos de zanzibar. Não conhecia e agora com certeza está no meu roteiro para a PRÓXIMA viagem =)
    Minha ideia era ir para Africa do Sul (fazer o safari em Kruger park ou na reserva de Kapama) e depois passar alguns dias em cApe town.)
    Mas agora estou morrendo de vontade de ir para zanzibar! rs Vc sabe me informar se tem safaris bons em Tanzania?
    Como vc chegou até zanzibar? Qual foi o seu roteiro?
    obrigada e PARABÉNS pelo blog.

Deixe um comentário