Carnaneve 2016 – Zermatt

Quem acompanhou o Ps. Bon Voyage pelo Instagram, viu que tivemos um carnaval bem atípico esse ano! Fugimos do calor e agito do Brasil para uma viagem com amigos para a Suíça. Essa foi a primeira vez que escolhemos um destino no inverno para passar o carnaval, mas para esse nosso grupo de amigos já é tradição há mais de cinco anos. Na realidade, a proposta da viagem é escolher uma estação de esqui (em qualquer parte do mundo) que tenha uma boa estrutura de cidades e pistas para passar a semana. Digamos que não falta opções nessa época, afinal é inverno nos Estados Unidos/Europa e um período com  muita neve! Quando começamos a pensar sobre qual lugar visitar, veio logo a ideia de Zermatt – a estação de esqui mais democrática da Suíça. Hoje vou compartilhar com vocês as principais dicas para visitar o destino! 

                 # Como chegar #

ZermattMap-2

Zermatt é uma cidadezinha alpina com apenas 3.500 habitantes localizada no sul da Suíça. O vilarejo fica na fronteira entre a Suiça – Itália (por isso é comum encontrar italianos) e possui em seu cenário a montanha mais fotografada do país: o Matterhorn – símbolo do chocolate TobleroneEm Zermatt é proibido a circulação de carros nas ruas, com isso o trem é a maneira mais fácil (e única!) de chegar. Na Suíça, a malha ferroviária funciona de forma integrada, tornando um excelente meio de transporte. Qualquer não-residente pode adquirir o  Swiss Pass (vendido direto pelo site da companhia SBB) e ter acesso a todas as linhas de trem normais do país (exceto as rotas especiais, panorâmicas de montanha), e todos os bilhetes de transporte público dentro das cidades, incluindo barcos, ônibus, trams, além de entrada em mais de 400 museus.

_DSC3952 _DSC3964 _DSC3967 _DSC3981

Para chegar até a estação de esqui, é possível pegar o trem nas principais cidades suíças: Zurique, Genebra, Lucerna e St. Moritz. Nós fizemos a viagem de trem a partir de Zurique (cidade mais populosa da Suíça) e indicamos pela beleza do trajeto. A viagem tem uma duração total de três horas com a necessidade de uma baldeação para troca de trem. A viagem é dividida em dois trechos: o primeiro de Zurique até a cidade de Visp (duração de duas horas) e a segunda etapa é de Visp até Zermatt que é um pedaço da rota do Glacier Express – o mais famoso trem panorâmico do país.

Glacier

O trajeto original do Glacier (fala: Glêixar) é de St. Moritz a Zermatt (conforme foto acima), tem uma duração de sete horas e quarenta minutos – e considerado o “trem expresso mais lento do mundo”! Porém, em apenas alguns horários do dia a rota é feita sem baldeações, num trem megapanorâmico, com serviço de bordo especial. Este é o Glacier Express — e para subir nele você precisa reservar e, mesmo com Swiss Pass, pagar um extra para escolha dos assentos. Uma alternativa é fazer a viagem em trens regionais (são eles: de Zermatt a Visp; de Visp a Disentis ou Chur; e finalmente de Disentis ou Chur a St. Moritz) e aproveitar o visual dos vales alpinos! O ticket para esse trem é uma média de 123 CHF (francos suíços) e pode ser adquirido direto pelo site do SBB.

Terminal-19_2_front_large

No entanto, aos que fazem uma viagem de carro pelo interior do país, uma alternativa é estacionar o veículo num vilarejo próximo (a melhor opção é a cidade de Täsch) e ir de trem até Zermatt. Em Täsch há vários estacionamentos, mas o melhor é o estacionamento dentro da estação de trem, que é o mais cômodo e com bom preço: Matterhorn Terminal Täsch (custa cerca de 15 francos a diária). Pode ficar tranquilo estacionando lá, é estacionamento coberto, protegido e ali mesmo você compra o bilhete de trem para Täsch, que sai a cada 20 minutos. O bilhete custa cerca de 17 francos por pessoa, ida a volta.

                # O que fazer #    

_DSC4049 _DSC4041 _DSC4003

A cidade de Zermatt é totalmente preparada para quem pretende fazer uma viagem de esqui, no entanto é possível visitar o vilarejo e aproveitar suas lojas, bares e restaurantes! Sendo assim, para se localizar na cidade vale uma caminhada pela Bahnhofstrasse – principal rua comercial de Zermatt. Seu inicio é em frente a estação de trem e percorre grande parte do vilarejo. No local, é possível encontrar um kit sobrevivência para os primeiros dias na cidade: supermercado, farmácias e lojas de chocolate (quem disse que não é questão de sobrevivência?), além de diversas lojas de roupas de esqui – da democrática Bayard a badalada Moncler. Na rua também estão os três principais hotéis do vilarejo alpino: o histórico Monte Rosa, o tradicional Mont Cervin e o moderno The Omnia. As tarifas de hotel em Zermatt variam ao longo de todo o ano. Na temporada de esqui (a partir de Dezembro a Março) os valores são mais altos e nesses hotéis a media é de 450,00 EUR por dia. 

_DSC4071 _DSC4074 _DSC4244

Atravessando a rua, ou melhor um rio de águas calmas que corta a cidade, esta uma área com hotéis mais democráticos. A lista começa com o badalado Bristol – hotel categoria médio padrão, três estrelas e que fica a poucos passos do ponto de ônibus para as gôndolas de esqui. A maioria dos hotéis suíços oferecem café da manhã no valor da diária (ponto muito positivo!), além de spa e serviço de locker para os equipamentos alugados.

Em Zermatt, uma das principais atrações para quem não esquia e uma visita ao topo da montanha Matherhorn a bordo de um trem de cremalheira. A ferrovia Gornergrat Bahn foi a primeira ferrovia de cremalheira do mundo completamente elétrica. Hoje, moderna e super eco-friendly, é equipada com um sistema inteligente que gera energia na própria descida do trem e leva visitantes do centro de Zermatt ao topo do Gornergrat em todos os 365 dias do ano. A viagem panorâmica montanha acima dura 33 minutos e faz uma sensacional ascensão de quase mil e quinhentos metros de altitude ao longo da jornada enquanto a ferrovia serpenteia sobre pontes, galerias e dentro de túneis, por entre pinheiros, rochedos e lagos.

# Dica: vale a pena comprar o ski pass (bilhete unico de acesso as gondolas de esqui) para fazer esse passeio. O ticket custa 79 CHF por pessoa e dá acesso a todos os trens e estações de esqui.

_DSC4159 _DSC4147 _DSC4196

O visual do alto é lindo e emocionante ver o Matherhorn lá de pertinho. É no topo do Gornergrat que fica o mais alto hotel de toda a Europa, o 3100 Kulmhotel Gornergrat. As facilidades por ali incluem também um restaurante aberto ao público em geral, observatório astronômico e lojinhas. Passar a noite num local tão especial pode ser uma sensacional experiência.

                      # Hotel #

Nós ficamos no Aristella Swissflair e foi uma excelente escolha! Contando um pouco da nossa experiência: assim que chegamos na estação de trem em Zermatt, fomos recebidos por um simpático motorista português. Como na cidade só possível circular carros elétricos, nossas malas foram acomodadas no pequeno porta-mala e seguimos para o curto caminho até o hotel. Nesse momento, o senhor comentou sobre a previsão de neve para os próximos dias e como a cidade estava lotada de europeus! Apenas 5 minutos de corrida, chegamos no hotel e a recepção foi igualmente simpática por uma senhora italiana. A reserva tinha sido realizada no site do Booking (sempre uso e recomendo) e por sorte havíamos ganhado um upgrade na categoria do quarto!

5237185 5238064 13228371 13228878 13229145

O hotel possui apenas 27 quartos divididos em três categorias: econômico, moderno e deluxe com vista para o Matterhorn. Todos os quartos são novos, bem iluminados, espaçosos e possuem uma decoração linda – bem típica suíça com muita madeira e parquet. O banheiro (algo tão importante em uma estação de esqui!) possui o chão aquecido e chuveiro com banheira, além de ótimos amenities! Não posso deixar de comentar sobre o café da manhã, simples e gostoso! Como uma típica refeição suíça, não pode faltar: seleção de queijos, pães variados e chocolate quente! O hotel também agradou pelo ótimo atendimento dos funcionários – sempre atenciosos e solícitos!  

No próximo post comento todos os detalhes dos nossos dias no esqui!

PS. Bon Voyage!             

Deixe um comentário