Restaurantes

Onde comer em Whistler?

“Costumo não tratar comida como alimento, mas sim como cultura”. Li essa frase no guia de restaurantes lançado recentemente  “Boni & Amaral – Guia dos Guiase me identifiquei muito com a observação. Conhecer novos restaurantes é uma forma de agregar valor cultural a uma viagem. Prática cada vez mais comum, os estabelecimentos estão interessados em promover uma sensação única ao seu cliente. Muitas vezes, essa percepção está atrelada à história do local, à música-ambiente ou a um cardápio reinventado por um novo chef. Seguindo esse conceito, nascem algumas companhias que preparam ações inovadoras, em parcerias com os restaurantes e trazem ao cliente uma impressão totalmente fora do cotidiano. Em Whistler, a empresa Canadian Wilderness Adventures une snowmobile e Fondue em uma experiência inusitada. O jantar é oferecido pelo restaurante Crystal Hut no topo da montanha Blackcomb e para chegar ao local, o meio de transporte é o snowmobile. Ao chegar ao restaurante, há uma degustação de fondue de queijo, regado com taças de vinhos escolhidos pelo somelie da casa e, para finalizar, é servida uma torta de maça, de sobremesa.

Seguindo a premissa de sensações únicas, porém sem o toque de aventura, a Vila de Whistler possui diversas opções de restaurantes. No Hotel Fairmont, um dos mais tradicionais do local, o chalé aconchegante – The Chalet oferece um menu de Fondue na temporada de inverno. O lugar só aceita os clientes com reserva e, certamente, será uma experiência memorável, principalmente para o seu paladar.  Outra opção dentro do complexo é o Portobello Market & Fresh Bakery. O local é ponto de partida das famílias esportistas e uma ótima opção para um café da manhã reforçado. Com atmosfera de mercado, ainda há uma padaria artesanal e cafeteria. Não deixe de provar o verdadeiro Hot Chocolate, feito com chocolate belga.

Restaurantes WhistlerNo coração da vila, fica o aclamado restaurante Araxi. Parte do Top Table Restaurant Group, a marca é muito reconhecida, assim como outros quatro premiados restaurantes de Vancouver. O local coleciona admiradores por oferecer menus sazonais aos seus clientes. O conceito se baseia na escolha de um ingrediente em destaque – desde os mais frescos frutos do mar vindos do Oceano Pacífico a carnes de fazendas locais. Concorrendo com o posto de melhor restaurante de Whistler, o Alta Bistro possui um clima intimista e recepção calorosa. Seu menu é restrito e a carta de vinhos bastante variada. Como restaurante que preza excelência, o valor cobrado é compatível à categoria em que se encontra. Para a sobremesa, não deixe de conhecer os sorvetes da loja Cows. No primeiro momento, você encontrará uma loja com diversos produtos com tema “vacas”. Mas o carro chefe são os deliciosos sorvetes! Ótima forma de encerrar o dia e encarar o próximo com muito esqui. E você, viajante, já foi para Whistler? Compartilhe seus restaurantes favoritos!

PS. Bon Voyage!

Restaurantes em Vancouver

    A culinária de um país é definida por suas influências culturais. O hábito alimentar traduz a identidade do local e é baseado em costumes dos seus antepassados. O Canadá, segundo maior país do mundo, em extensão territorial, possui referências dos seus ancestrais indígenas, além de seus colonizadores franceses e britânicos. As influências gastronômicas dos povos chineses, judaicos e italianos também contribuem para sua cultura alimentar. Essa infinidade de estilos faz de Vancouver um dos melhores destinos gastronômicos mundiais. Alguns dos Chefs mais reconhecidos possuem restaurantes na cidade, um deles é o aclamado Jean Georges. No segundo andar do Shangri-Lá Hotel, está o Market. O restaurante é vencedor na categoria Dinner´s Choice Winner do Tripadvisor e se mantém no topo desde então. O bar da entrada é uma ótima opção para drinks e aperitivos, mas a habilidade do chef é comprovada na seleção de pratos principais. Algumas criações simples são transformadas em uma verdadeira explosão de sabores. O filé de salmão real com purê de batata foi a minha escolha, o que parecia ser um prato comum, transformou-se em algo extraordinário, pois é finalizado com trufas negras, ingrediente de origem francesa. Seguindo a linha de chefs celebridades,Hidekazu Tojo lidera a categoria. O que o diferencia é a experiência do chef no bar de sushi e o fato de ser um dos pioneiros no uso de frutos do mar na comida japonesa. O Tojo´s atrai conhecedores de todas as regioes e  a experiência vale cada centavo.

Market montagem

    Agora, se você é fã de comida italiana não deixe de conhecer o Cin Cin, certamente será uma noite memorável. O restaurante fica na badalada rua de compras Robson St. e possui um menu variado, complementado por uma reconhecida carta de vinhos. Para a entrada, não deixe de pedir as pizzas assadas no forno à lenha. O clima aconchegante e intimista traduz muito bem o modo de servir dos canadenses.

    É no bairro de Gastown que se concentram ótimas opções de almoço e jantar. O Flying Pig é um dos melhores endereços no local. Se engana quem pensa que haverá muitas opções de pratos feitos com carne de porco. O nome irreverente do restaurante possui uma história curiosa. O proprietário do lugar, quando novo, trabalhou para uma detestável chefe de cozinha. O destrato com ele era tanto, que após alguns anos, resolveu sair e abrir o seu próprio restaurante. Otimista, quando foi embora, anunciou à patroa que o restaurante dele seria muito melhor, e sabe o que ela respondeu? “Nem se porcos voarem”. Eis que surge o criativo nome. Inovação define muito bem o local, os alimentos são preparados com uma mistura de produtos orgânicos e especiarias. Outra opção no bairro é o clássico The Old spaguetti Factory. Seu preço é acessível (comparado às outras opções). Porém, em face do custo-benefício, as filas são muito comuns. O ponto alto fica para decoração do local, predomina o estilo vintage condizente com a identidade do bairro.

flying pig

DSC02537

DSC02542

DSC02800

Acredito que conhecer restaurantes é uma excelente forma de absorver a cultura local. A gastronomia canadense foi algo surpreendente, uma mistura de bom atendimento e excelente produtos para elaboração dos pratos. E você, viajante, conhece algum desses restaurantes? Conte sua experiência!

PS. Bon Voyage!

Ano Novo 2013 – Praia e Neve!

Todo final de ano, costumo viajar com a minha família. Criamos esse hábito há algum tempo, por motivo óbvio – o único período em que todos conseguem tirar uma “folguinha” do trabalho. A organização começa em meados de Agosto e, para isso, é feito um almoço de domingo que eu, a “agente de viagens da família”, proponho algumas opções de destino. Para o ano de 2013, havia uma viagem que eu gostaria muito de fazer, porém não sabia como seria a reação deles. A minha ideia era mesclar praia e neve no mesmo roteiro – Canadá & Hawaii. Sei que não soa convencional, muito menos é um pacote proposto por grandes agências de viagem, mas, para minha surpresa, minha família topou na hora. O próximo dilema seria como organizar: Por qual cidade chegar? Em que local passar o Ano Novo? Começar pelo calor ou neve? Decidimos que a passagem do ano novo seria no Hawaii, pelo fato de ser mais quente. Por sorte, encontrei uma promoção da Air Canada com chegada a Seattle e retorno por Vancouver. Perfeito, chegaríamos a Seattle e, depois de dois dias, marquei nosso voo para o Hawaii.

Ano novo montagem

No total, foram 13 dias viajados. A divisão para cada cidade ficou da seguinte forma: Seattle, 2 dias; Hawaii, 5 dias; Vancouver, 3 dias e Whistler, 3 dias. Meu roteiro começa pela reserva de hotéis. Costumo fazer pelo Booking ,pois sempre encontro promoções e, há uma grande variedade de hotéis. Vale ficar alerta nas condições de reserva impostas pelo site: em semanas que a procura é muito grande, precisa fazer o pagamento antecipado. Costumo reservar os restaurantes pelo opentable. O site atua em toda a América do Norte e possui locais consagrados em seu portfólio. Para o ato da reserva, precisa incluir um email e telefone. Uma dica: Faça o cancelamento da reserva caso tenha um imprevisto. O site bloqueia automaticamente o email cadastrado para aqueles que perderem, até cinco vezes, a reserva. Nessa viagem, todos os carros foram alugados pela locadora Avis. Faço o comparativo das locadores pelo Kayak e sempre encontro preços melhores. Além disso, já deixei programado alguns passeios que não gostaria de perder. No Hawaii, programei para ir ao tradicional luau havaiano no The Royal Hawaiian. Em Vancouver, reservei dois passeios: Grouse Mountain  + Capilano Suspension . E para finalizar, em Whistler, reservei o Blackcomb snowmobile – Wilderness tour.

Acho válido reservar, com antecedência, alguns passeios devido à disponibilidade. Para mim, não há nada mais prazeroso do que pesquisar sobre a viagem que se vai fazer. Nos próximos dias, teremos diversos posts sobre tudo que conheci nessa viagem!

PS. Bon Voyage!