Tag: america do sul

Guia de viagem – Santiago

Sabe aquele lugar que você tem orgulho em saber que faz parte da América do Sul? Essa é a minha sensação em toda vez que visito o Chile! Um destino apaixonante, para ser apreciado aos poucos, em mais de uma viagem e curtido sem pressa. O país tem um cenário único: de um lado está a Cordilheira do Andes e do outro o Pacífico e, desta forma, consegue oferecer diferentes paisagens em todo o seu território. Por lá é possível esquiar em belas estações de esqui, conhecer regiões vinícolas, se deslumbrar em paisagens cinematográficas e descobrir a terra do fogo no extremo sul do país. 

A porta de entrada principal é o aeroporto Arturo Merino Benitez, também conhecido como Pudahuel, e localizado a vinte quilômetros do centro de Santiago, capital e cidade mais populosa do Chile. Muitas companhias aéreas oferecem voos direto para lá: LAN & TAM, Gol e Skyairlines (cia aérea local). Sendo assim, dar uma esticadinha até o Chile está cada vez mais fácil! A vantagem é que não tem época certa para conhecer o lugar, pois não faltam atrações no verão ou inverno. Só é importante ter em mente que é recomendado começar o roteiro com pelo menos duas noites em Santiago, afinal porque não apreciar o que a capital tem de melhor antes de explorar outros pontos do país? Veja só as dicas:

Atrações

O charme europeu dita a arquitetura da capital chilena, Santiago, e por todos os lados é possível encontrar prédios históricos que remetem a colonização espanhola. A gastronomia chilena também sofre fortes influências de seus antepassados e em seus restaurantes típicos é possível encontrar muito peixe, empanadas e ensopados com carne de porco. No entanto, as atrações na cidade são das mais diversas, desde um passeio pelo mercado central, a museus e picos com belos visuais. A vantagem é que a maioria das atrações concentram-se no centro, sendo possível visitar grande parte a pé. Se for a sua primeira visita à cidade, não deixe de começar pelo clássico: Plaza de Armas e Catedral Metropolitana – dois ícones da cultura chilena. Outro ponto que está na lista de mais visitados em Santiago é o Palácio da Moneda – sede da presidência chilena e aberta ao público. Completou os principais pontos turísticos? Agora é hora de visitar alguns lugares bem interessantes. A nossa dica para o dia é coloque um sapato confortável, leve pouco peso na bolsa/mochila e caminhe bastante. Veja só o que não pode faltar:

A casa de Pablo Neruda é um dos principais museus de Santiago. Localizada no bairro da Bellavista (próximo ao Cerro San Cristóbal), foi construída em 1952 para celebrar o amor de Pablo por Matilde, a descabelada (la chascona), que foi sua última esposa. É uma construção dividida em 3 partes, unidas por escadas, caminhos e um belíssimo jardim. Além de funcionar como casa-museu, La Chascona também é sede da Fundação Pablo Neruda e da biblioteca do poeta. As visitas são todas guiadas e em janeiro e fevereiro são de terça a domingo de 10h a 19h, e de março a dezembro de terça a domingo entre 10h e 18h.

chile

chile 2

Provavelmente é aquele lugar que o amigo indica quando você fala que vai para Santiago! Localizado no topo da montanha, o Cerro de San Cristobal oferece visitas lindas da cidade e de toda Cordilheira dos andes. A maneira mais fácil de acessar é por um funicular que sai do terminal na Calle Pio Nono. A viagem dura dez minutos e quem não tem medo de altura terá uma visão privilegiada de Santiago. Depois que escurecer, evite descer o Cerro caminhando (antes de visitar o local informe-se dos horários no site oficial aqui).

Dica: Aos domingos o Cerro de San Cristobal costuma ser bem movimentado por conta dos ciclistas que sobem a serrinha de bicicleta!

chile 3

Assim como as principais capitais do mundo, em Santiago está localizado o maior prédio da América do Sul – Costanera Convention Center  (inaugurado em Agosto de 2015) e em seu topo tem um belo mirante aberto ao público. O Sky Costanera possui 300m de altura e uma vista vista panorâmica de 360º da cidade. A torre conta com dois elevadores, que, de última geração, levam até 45 pessoas do 1º ao 61º andar em apenas 40 segundos. No topo, o andar 61, constituído por paredes de vidro, abriga painéis que indicam os diversos pontos de referência que podem ser avistados; já o 62, acessado por escadas rolantes, tem como diferencial o teto: o céu, as nuvens e as estrelas.

chile 5

chile 4

## Para quem gostar de fazer um Walking Tour pelos principais pontos da cidade, a empresa Tours4Tips oferece caminhadas em grupo com duas saídas diárias (as 10hs e 15hs). O tour tem 3hs de duração e não tem custo (é gratuito) ##

 

Passeios

Visitar um vinicola em Santiago é quase que um tour obrigatório para quem visita o país andino! Pensando nisso, uma das melhores vinícolas, localizada a apenas 92 km do centro de Santiago, é a Matetic Vineyards. Com mais de 20 anos de tradição e administrada por uma família chilena, o lugar preza pela qualidade do atendimento aos visitantes e oferece um vinho produzido 100% com uvas orgânicas. O tour custa (aproximadamente) R$ 34,00 por visitante e é possível provar três variedade da linha Corralillo. Além disso, o lugar oferece um restaurante para almoço, passeios de cavalo e bicicleta dentro da propriedade.

chile 6 chile 7

Onde comer

Localizado dentro do Parque Bicentenário, o restaurante Mestizo é especializado em versões contemporâneas de pratos tradicionais chilenos. O ambiente do restaurante é de encher os olhos e as criações extremamente saborosas! Vale ir durante o almoço ou jantar, mas nao se esqueça da reserva que pode ser feita diretamente pelo site. 

Endereço: Av. Bicentenario 4050 – Vitacura | Horário de funcionamento: Todos os dias – almoço 12:30hs as 15:30hs e jantar 19:30hs as 00:00hs

chile 8 chile 9

  • Rivoli 

Restaurante italiano localizado bem no bairro de Providencia, próximo ao centro de Santiago. Para quem não passa uma viagem sem uma massa, esse lugar é uma ótima pedida. 

Endereço: Nueva De Lyon 77 – Providencia

Restaurante badalado dentro do W Hotel em Santiago. O lugar oferece uma cozinha fusion, especializado em pratos japoneses e peruanos (os ceviches são divinos!). As porções são extremamente saborosas e uma dica é experimentar o menu degustação – inclui 8 pratos e mais uma opção de sobremesa, valor aproximadamente R$ 250,00 por pessoa. Não deixe de fazer a reserva pelo site!

Endereço: Isidora Goyenechea, 3000 – Las Condes | horário de funcionamento: de segunda a sábado – almoço 12:30 -15:30, jantar 19:30 -23:30.

chile 10

Esse lugar foi um super achado em nossa última viagem a Santiago! Localizado ao lado do W Hotel (Osaka), o espaço reúne uma mercearia/restaurante e bar. Considerado um mercado gourmet, o lugar vende diversos produtos típicos, como temperos, massas, bebidas e vinhos, além de ter um bar com tapas. 

Endereço: Alonso de Córdova 2437 – Vitacura | Horário de funcionamento: todos os dias a partir das 09:30hs as 23hs.

  • El Otro Sitio

Menu saboroso especializado em culinária peruana. Um bom lugar para tomar Piscos (bebida típica chilena) e comer frutos do mar. 

Endereço: Antonia Lopez de Bello, 53 – Las Condes

Restaurante especializado em comida espanhola (Vasca!) e com ambiente bem típico. 

Endereço: Isidora Goyenechea, 2900 | Horário de funcionamento: todos os dias a partir das 12:30hs as 23hs.

No próximo post comento sobre lugares para se hospedar em Santiago.

PS. Bon Voyage!

Valle de Uco – o novo hotspot argentino

    Da América do Sul à Nova Zelândia, em quase todos os cantos do mundo há opções interessantes de passeios para os apreciadores de vinho. O entoturismo, como é chamado o turismo dedicado a amantes de vinho, vem ganhando força nos últimos anos por unir duas paixões: apreciação do aroma do vinho + cultura da localidades que produzem esta bebida. Entre os destinos mais procurados pelos brasileiros estão Mendoza, na Argentina, e a região do Valle de Colchagua, no Chile, por conta da proximidade e do custo menor da viagem. No entanto, alguns países na Europa também oferecem ótimas rotas de vinho e os lugares mais visitados são: Champagne, é somente nesta cidade francesa que saem as famosas garrafas de Champagne. Para receber esse nome, a bebida deve ser produzida com uvas cultivadas na região e seguir rigorosas normas de engarrafamento; La Rioja, é a mais famosa e que mais representa o estilo espanhol de fazer vinho. Embora chamada de “Bordeaux Ibérica”, os tintos de Rioja possuem mais a delicadeza da Borgonha que a potência de Bordeaux, e por fim Toscana: as colinas toscanas produzem alguns dos mais famosos vinhos do mundo, como o Brunello di Montalcino. Temperatura adequada e solo propício trabalham juntos para a obtenção de diversos tipos de uva com máxima qualidade.

Hoje vamos comentar sobre uma região próxima do Brasil e que vale a pena visitar:

MENDOZA

Com clima seco e terras de boa qualidade, Mendoza, no meio da Cordilheira dos Andes, produz 70% dos vinhos argentinos e é considerada o novo hotspot do país. Um fato curioso é que até 15 anos atrás o local era um grande campo desértico, no entanto com as mudanças climáticas e a forte influência da Cordilheira dos Andes o local tornou-se mais úmido e essa combinação favoreceu o desenvolvimento da vinicultura. 

20140320-172029

hero-owners MendozaAtualmente o número impressiona: são mais de 1.200 vinícolas em toda a província, porém apenas 130 estão aberta a visitação. O local é dividido em três regiões: Luján de Cuyo (a 20 km da cidade de Mendoza), Valle de Uco (80 km) e Maipú (15 km) – nomes certamente familiares para os apreciadores da bebida, já que aparecem estampados em muitos rótulos. Malbec, a uva mais característica da província, é originária das regiões Luján de Cuyo e Valle de Uco, onde a altitude varia entre 850 e 1.520 metros. Mas não é só de Malbec que é feita a produção de vinhos em Mendoza, que hoje produz com ótima qualidade também Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Torrontes, Merlot, Pinot Noir e Semillon.

IMG_0965

Os serviços e programas dedicados aos visitantes das vinícolas são tão diversos quanto à variedade de suas uvas. Com tanta oferta, as produtoras começaram a investir também em novas experiências para o consumidor que vão além da degustação e incluem piquenique nas propriedades, tratamentos de spa e até exposições de arte.

COMO CHEGAR?

Desde de Julho de 2015, a companhia aérea Gol oferece dois voos diretos por semana (aos sábados e quartas) com saída de São Paulo para Mendoza. Os vôos partem às 10h10 e chegam a Mendoza às 14h. Na volta, o avião decola de Mendoza às 16h45 e chega em São Paulo às 20h. Para os outros estados, para chegar por via aérea há basicamente duas opções: de Buenos Aires (Aerolineas Argentinas) ou de Santiago (LAN).

HOTEIS

Graças ao desenvolvimento do vinho na região, surgiram vários empreendimentos eno-gastronômicos e hoje possível encontrar na região de Mendoza vinícolas futuristas com arquitetura arrojada, charmosas Bodegas de Boutique, experimentar vinhos excelentes, provar uma comida maravilhosa, seja em restaurantes sofisticados ou rústicos em meio aos vinhedos, sempre harmonizados com os vinhos do vale, e ainda se quiser, jogar golfe, polo ou pescar. O viajante pode optar em se hospedar em Mendoza e fazer um bate e volta pelas principais vinícolas ou se hospedar em uma e ter uma experiência completa na rota do vinho argentino.

Localizado no Valle do Uco, essa vinícola&Resort é uma das melhores opções de hospedagem em Mendoza. Inaugurado em 2005 por dois amigos espanhóis, o The Vines of Mendoza já vendeu Private Vineyards (vinhedos privados) para mais de 120 donos, de todas as partes do mundo e ainda ganhou o selo de qualidade máxima de hospedagem do Leading Hotels. Além de quartos ultra charmosos, piscinas, spa, o hotel oferece ao hospede várias atividades pelas vinícolas da região. Por fim, é no The Vines que está instalado o mais recente restaurante do famoso chef Francis Mallman: Siete Fuegos, especializado em churrasco argentino (aberto para não hóspede).

_d9a2373-_StayHomepage 51928971 RESORT-SPA-_ME82028_StayHomepage RESORT-SPA-2-_ME82069-3_StaySlider

E recomendado ficar pelo menos três noites para fazer os passeios mais básicos e a diária sai em média USD 500,00 por quarto duplo.

Localizado no Valle de Uco, essa propriedade conta com um vinícola e um resort exclusivo. Com as cordilheiras de pano de fundo, o hotel possui piscina ao ar livre, spa e passeios inclusos no valor da diária. Seus quartos são divididos em três categorias e acomodam ate três pessoas. O hotel está localizado próximo as principais vinícolas e a 10km de distancia da Reserva Natural de Manzano.  

552fbc2aa67cb4c37769e450_casa-de-uco-mendoza-hotlist15.1 casa-de-uco-vineyards habitaciones-1

PASSEIOS

Talvez o mais importante nessa viagem seja a logística das visitas às vinícolas. É essencial reservar absolutamente todas as visitas e almoços com antecedência. Para isso, você pode contratar uma empresa local (como a Malbec SymphonyAmpora Wine ToursTasting MendozaTrout and WineAymará etc.) ou optar por contratar um motorista/concierge particular. O indicado é separar ao menos três dias para fazer os principais passeios: um dia para o Vale de Uco (que fica a cerca de 1h30 do centro) e outro para o Vale Central (que fica a 40 minutos do centro), sendo interessante escolher duas bodegas para visitação e uma terceira para um almoço harmonizado. No Vale de Uco, a sugestão é a vinícola Andeluna, Salentein (almoço) e O.Fournier; já no Vale Central: Terrazas de Los Andes,  Chandon (almoço), Bodega Norton. Se sobrar um dia, vá para a região de Maipú onde esta a vinícola Família Zuccardi – uma das principais da Argentina.

Outro passeio que não dá pra deixar de fora da lista é o tour da montanha. Para chegar lá são mais ou menos 2h30 de paisagens áridas, montanhas e neve. Os pontos de interesse ao longo do passeio são o dique Potrerillos, que fornece água potável para a cidade de Mendoza, a Puente del Inca, uma interessante formação natural de componentes biominerais, e o trekking de 45 minutos dentro do parque provincial do Aconcagua. Uma dica que recebemos foi não almoçar nesse passeio, pois os restaurantes da região não são dos melhores. Vale a pena levar um lanche ou até mesmo fazer um piquenique no parque.

PS. Bon Voyage!

4º dia Atacama – Termas de Puritama

_DSC6121

    Relendo os últimos posts sobre o Deserto do Atacama, notei que fiquei devendo as dicas do nosso quarto dia por lá. Depois de percorrer os cenários fascinantes do Salar Do Atacama (aqui), Lagunas Altiplânticas (aqui) e Geisers Del Tatio (aqui) visitamos em nosso último dia um verdadeiro oásis no deserto: Termas de Puritama. Localizado a 3.500m de altitude de San Pedro do Atacama, o lugar conta com piscinas abastecidas por águas que brotam do lençol freático a uma temperatura de 33 graus e são indicadas para diversos tratamentos corporais, ou seja, o lugar ideal para você relaxar e descansar depois de longos dias de caminhadas. As piscinas termais ficam a apenas 30 minutos do centro de San Pedro do Atacama, o trajeto é feito em estrada de terra e quase todo ele é de subida. Por se tratar de um passeio de meio dia, muitos viajantes programa-se para visitar as termas no período da manhã e deixam a tarde livre para outro passeio “half day”. No entanto, por indicação do nosso “concierge de expedições” do Tierra Hotelfizemos um roteiro um pouco diferente e incluimos um Trekking pelo Guatin antes de chegar as famosas termas. Havia passado de carro, no dia anterior, pelo Guatin e os cactus gigantes e fiquei apaixonada pelo visual! Foi a desculpa perfeita para combinar os dois passeios. Abaixo compartilho todos os detalhes para vocês:

    Começamos o dia bem cedo com um super café da manhã oferecido pela equipe do Tierra Hotel. O transfer estava marcado para sair as 08hs e pontualmente embarcamos para a primeira etapa do nosso dia. Como de costume, o motorista do hotel nos deixou no ponto de partida do trekking e de lá seguimos pelos 7km até as termas de Puritama. O visual do começo da trilha é fascinante: um canyon localizado no Guatin a beira do rio Puritama. Durante todo o trajeto seguimos o curso do rio e a trilha é repleta de subidas e descidas em pedras. O mais interessante do caminho é poder observar a biodiversidade do local. São milhares de plantas centenárias, lugares totalmente secos e, claro, a principal atracão – os cactus gigantes. Alguns chegam a altura de dez metros e possuem milhares de anos. A caminhada tem duração total de 2hs e considerada nivel intermediário, por conta das pedras.

fixedw_large_4x Treking_Guantin_Atacama-3 Treking_Guantin_Atacama-7

    No final do trekking Guatin chegamos em uma área repleta de Cola de Zorro, uma planta típica da região que se assemelha ao trigo e tem um visual bem natural. E é nesse ponto que começam a aparecer as primeiras piscinas das termas de Puritama. O lugar, construído pelo hotel Explora, tem uma ótima infra-estrutura (comparada a outras atracões do Deserto do Atacama) e conta com um refeitório, banheiros e estacionamento. Uma dica é aproveitar as ultimas piscinas, as primeiras são reservados para os hóspedes do hotel e normalmente são mais movimentados, para ter mais tranquilidade. 

_DSC6148

_DSC6100 _DSC6098

_DSC6136No fim do passeio, seguimos até um mirante próximo ao estacionamento para tirar algumas fotos das piscinas. 

Informações adicionais 

Quanto custa | Caso você programe o passeio com uma agencia de San Pedro do Atacama, o valor médio do transporte até o Termas de Puritama custa CLP 10.000 e praticamente todas as agências oferecem o mesmo preço. A entrada para o parque tem um custo adicional por ser uma área preservada, valor médio CLP 9.000.

Quando ir | O passeio está disponível todo o ano. 

O que levar | Para realizar o trekking é indicado levar roupas de caminhada, um tênis apropriado, boné, óculos de sol e a inseparável garrafa de água. Na mochila, incluir uma muda de roupa extra, protetor solar, roupa de banho e uma toalha para quem quiser aproveitar as piscinas termais. 

E aí, viajantes, gostaram da serie de posts da nossa viagem ao Deserto do Atacama? Confesso que da uma saudades do lugar..

PS. Bon Voyage!

Dicas do leitor – Cartagena, Colômbia

DSC06442     A coluna com dicas do leitor desta semana fala sobre um destino muito procurado pelos brasileiros – Cartagena. Devido aos frequentes voos operados pelas companhias aéreas GOL e Avianca, a cidade colombiana ficou ainda mais atraente e próxima de nos. Muitos a procuram por ser banhada pelo mar caribenho e por possuir um clima bem hospitaleiro. Além disso, a cidade consegue harmonizar seus atrativos históricos com os naturais de forma única. Quem conta um pouco sobre esse lugar é a Ana Marília Sá, morou durante quarenta dias para fazer um curso incorporado a sua faculdade de arquitetura.

    Segundo ela, “existem duas Cartagena – a histórica, que é a fechada pela muralha e a outra, que é uma cidade genérica. O centro histórico é bem charmoso e tradicional, as construções, o modo de vida e com certeza uma ótima opção de hospedagem”. É nesta região que se concentram grande parte dos pontos turísticos.  Segundo a Marília, alguns passeios são imperdíveis: “Palácio da inquisição, castelo de San Felipe, casa do Gabriel Garcia Marquez, las Bovédas e a Catedral”.

DSC06507

DSC06134    Quem visita Cartagena certamente irá se alimentar muito bem. Seja em restaurantes típicos ou de cozinha internacional, a cidade oferece muita variedade ao visitante. A dica da Marilia é conhecer “o restaurante do hotel Casa Del Sol, super charmoso”. O Crepes & Waffles, restaurante colombiano que inclusive tem uma filial em São Paulo, também está na lista dos indicados. O lugar é mais simples e o menu voltado para todas as refeições do dia. Para o jantar, a Marília indica o Bistro Mila.

    Se durante o dia a cidade é animada, a noite o clima fica ainda mais agitado. Segundo ela, “durante a noite, em frente a Igreja de Santo domingo, a grande praça fica cheia de mesinhas dos restaurantes, você come ao ar livre, é bem tranqüilo”. Proximo a Baluarte da Muralha, fica o restaurante/balada Café del Mar. Agora para quem procura musica de qualidade, a dica da Marília é o Café Habbana. Outro clube com música típica local é o mister Babilia.

DSC00940

    Apesar de Cartagena estar situada no mar do Caribe, suas praias não são muito atrativas. Segundo a Marilia, ” a grande atração é visitar as ilhas em volta. Na marina da cidade você pega uma lancha para as ilhas”. Ela indica a Ilha do Rosário, Praia Branca, Bocachica e Ilha del Barú. O passeio mais popular é para as ilhas Islas del Rosario e Playa Blanca. Todas eles saem do Muelle de la Bodeguita pela manhã e retornam no final do dia. A marina fica praticamente em frente à Torre del Reloj, se estiver hospedado no centro histórico, da para ir a pé. Devido a quantidade de agencia no local, não há necessidade de reservar o passeio com antecedência.

    Se vc ainda esta com dúvida se deve conhecer a cidade, O Frommer’s Travels Guide, um dos guias turísticos mais importantes de viagem, recomenda Cartagena como um destinos mais atrativos para se visitar na América do Sul.

PS. Bon Voyage!