Tag: Espanha

Onde comer em Barcelona!

    Vira e mexe aparece um leitor por aqui pedindo dicas de restaurantes em Barcelona! A capital da Catalunha é um dos destinos mais visitados na Europa (não é só no verão!) e tem uma seleção de restaurantes de primeira! Por lá é possível degustar as famosas tapas, presunto cru (jamón) e frutos do mar dos mais variados – algo tão presente na culinária espanhola! Nós visitamos a cidade em Janeiro deste ano (tem um post com dicas aqui) e simplesmente A-MA-MOS os restaurantes que conhecemos! Então segue uma lista com o TOP 10 para incluir no roteiro de vocês:

Boca Grande: Um dos restaurantes mais descolados de BCN! A comida é gostosa (bem variado de carnes e frutos do mar), mas o ambiente é uma atração à parte! Vale fazer reserva pelo site.

bocagrande

Endereço: Passatge de la Concepcio 12 | Preço médio: 45,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica. 

Botafumeiro: um dos restaurantes mais tradicionais e famoso pelos seus pratos de peixes e frutos do mar. O ambiente é legal, o serviço bom e a comida deliciosa!

Botafumeiro botafumeiro (1)

Endereço: Carrer Gran de Gràcia, 81, 08012 Barcelona | Preço médio: 70,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica. 

El Nacional: espaço gastronômico colado na Paseo di Gracia que possui vários restaurantes bacanas. Almoçamos no especializado em peixes (La LLotja) e estava otimo!

Endereço: Paseo de Gracia 24, 08007 Barcelona | Preço médio: 45,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

Ciudad Condal: um dos restaurantes mais tradicionais de tapas em Barcelona! O lugar é bem cheio e tem fila, mas vale esperar pelos pratos. Aberto durante todo o dia!

Endereço: Rambla de Catalunya, 18 | Gran Via de les Corts Catalanes, 603, 08007 Barcelona | Preço médio: 30,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

Quimet & Quimet: outro restaurante bem tradicional de tapas. Próximo ao mercado La Boqueria.

Quimet

quimet-i-quimet-8

Endereço: Poeta Cabanyes 25, 08004 Barcelona| Preço médio: 30,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

Jaime Beriestain: Um bistrô/café super charmoso que fica dentro de uma loja próximo a Casa Batlo! Tá na lista pq as sobremesas são incríveis.

Endereço: C/ Pau Claris, 167  Barcelona| Preço médio: 30,00 EUR a 45,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

Bestial: restaurante pé na areia em Barceloneta com uma paella. Vale ir em um dia ensolarado para aproveitar o visual.

Bestial

Endereço: Ramón Trias Fargas 2-4, 08005 Barcelona| Preço médio: 40,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

Tickets (bar de tapas), Pakta e 41 Grados: restaurantes do famoso chef Albert Adrià e que são incríveis! Vale tentar reserva pelo site em qualquer um dos três e se deliciar com as criações autênticas.

tkts tkts 2

Endereço: Avinguda Paral·lel 164, 08015 Barcelona| Preço médio: 55,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

Alkimia: para quem quer uma experiência gastronômica mais refinada! Vale reservar na quarta que tem um menu degustação com um preço mais acessível.

alkimia alkimia 2

Endereço: Carrer de la Indústria, 79 Barcelona| Preço médio menu degustação: 58,00 EUR a 74,00 EUR por pessoa excluindo bebida alcoólica.

  • Mercat de la Boqueria

Não pode faltar esse mercadão que é um clássico em Barcelona! A boa pedida é caminhar pelas milhares de “ruelas” gastronômicas e degustar um pouco de cada alimento! Os peixes são incrivelmente frescos e as frutas nem se fala!

Aproveito para dar uma dica de Site que me ajudou muito na reserva de restaurantes em Barcelona! É o BcnRestaurantes.com que tem uma lista bem completa e é super fácil de usar ;)

PS. Bon Voyage!

Roteiro Espanha – Madrid

    A capital da Espanha é destino certo de milhares de turistas durante todos os anos. A terceira cidade mais populosa da Europa, atrás apenas de Londres e Berlim, guarda boas surpresas ao viajante e enriquece o roteiro com seu panorama cultural. Sinônimo de chegadas ou partidas, por conta dos voos direto vindos do Brasil pela cia aérea Ibéria, Madrid é um lugar facilmente conectado. O território tem como aliado o trem de alta velocidade e a partir de lá é só escolher o que vale a pena visitar. Antes de listar as atrações vamos compartilhar algumas dicas básicas para o planejamento da sua viagem:

_DSC3851

Como ir do aeroporto ao centro?

A maneira mais simples de sair do aeroporto de Madrid para o centro é de metro. O Barajas está conectado ao metrô pela linha oito e possui dois terminais: T2 (linha que passa pelos terminais T1, T2 e T3) e T4 (um pouco mais afastado). Munidos do app Metro Madrid o viajante chega ao centro da cidade em apenas 20 minutos e o valor do bilhete simples custa 2,00 EUR. Aos que chegam com muita bagagem, uma opção é a Linha Express do ônibus até a estação de trem Atocha ou de taxi, uma alternativa mais confortável e não chega a ser tão cara (corrida até a região central fica em torno de 25EUR mais taxas).

Quantos dias ficar em Madrid?

Pensando em uma capital com muitas atrações e possibilidades de bate-voltas o ideal são três ou quatro dias noites no local. Costumo dizer que muitos lugares pedem um tempo para gerar uma experiência real e Madrid é um deles. A metrópole é grande, se destaca pela oferta cultural e possui diversos bairros com características completamente diferentes umas das outras.

_DSC3881

Como se locomover na capital espanhola?

Avaliando pelos valores cobrados na Europa, o taxi na Espanha não é caro, no entanto a capital é muito bem servida pelo transporte publico. O metrô funciona perfeitamente e a rede é bastante extensa, sinalizada e fácil de usar. Outra vantagem é que a cidade é bastante plana – o que deixa as caminhadas até as estações quase nada cansativas. Se optar pelo Metrô como seu meio de transporte oficial na cidade, compre o bilhete de dez viagens, você vai economizar. As linhas abrem às 6 da manhã e param somente às 2 da madrugada. Portanto, circular de carro alugado está fora de cogitação!

Devo alugar carro para visitar as cidades mais próximas?

O trem de alta velocidade é uma ótima opção de transporte na Espanha. A partir da estação de trem Atocha, saem trens diários para cidades como Toledo (40minutos), Barcelona (2h35min), Sevilha (2h30min), Figueres (3h58min), entre outros. No entanto, aos que gostam de fazer um roteiro personalizo uma alternativa é o carro. A própria estação, localizada no centro da capital, reúne as principais locadoras de carro no andar do desembarque. O valor médio do aluguel costuma ser de EUR 30,00 a EUR 60,00, alterando conforme a alta temporada. 

_DSC3859

Onde devo me hospedar?

Madrid é uma cidade grande e muito pulverizada. Seu corredor principal é a Gran Via, a avenida mais conhecida da cidade e abriga antigos cinemas, prédios e muitas lojas. É uma região super turística e, por isso, tem várias opções de hotéis devido à localização central. Próximo de lá está o bairro Sol, região em volta da Plaza del Sol é onde encontram-se os pontos turísticos mais conhecidos de Madrid, como a Plaza Mayor e o Palácio Real. Para quem gosta de fugir das aglomerações, uma alternativa é o bairro Salamanca –  mais chique de Madrid, localizado ao lado do belíssimo parque do Retiro. É nele que ficam as ruas de compras Calle de Jose Ortega y Gasset, Calle de Serrano e Calle Velazquez, com reconhecidas marcas internacionais e ótimos restaurantes. Outra alternativa é o bairro La Latina com um ambiente mais boêmio e muitos hostels. Vale conferir os noteis: URSO hotel & Spa, ME Madrid e NH Collection Palacio de Tepa.

Dicas extras:  

  • Muitas lojas e alguns estabelecimentos costuma fazer uma siesta depois do almoço, ou seja ficam fechadas entre 14hs e 17hs. A vantagem é que o comercio funciona até as 21hs.
  • Assim como muitos países da Europa, a Espanha oferece o reembolso dos impostos de até 13 % das suas compras. O processo é simples e pode ser feito no ultimo dia da viagem em alguns pontos no aeroporto de Barajas. Lembre-se de deixar as peças de maior valor em uma mala separada caso precise fazer a inspeção. 
  • Leve muitas roupas de frio no inverno e roupas frescas no verão. A cidade tem temperaturas extremas e inversas ao longo do ano.

PS. Bon Voyage!

Guia de Barcelona

_DSC3421

_DSC3371 _DSC3393 _DSC3407 _DSC3508 _DSC3573

    Barcelona é uma cidade vibrante e não tem como negar! É um lugar rodeado por cultura, arte, arquitetura, gastronomia, que tem ainda como pano de fundo as praias do Mediterrâneo. São tantos predicados que o destino figura com frequência na lista das cidades mais visitadas da Espanha e, durante o verão, o número de visitantes atinge escalas mundiais. De fato, a capital da Catalunha possui um ambiente poderoso e com muitos contrastes. Seu cenário é composto por obras, que se tornaram ícones com o passar do tempo, de artistas consagrados, como Gaudí. Basta um passeio pela Passeig di Gracia, rua central de Barcelona, para encontrar dois lugares emblemáticos: Casa Batlo e a Casa Milá (também conhecida como La Pedrera). Seguir os passos do arquiteto modernista pode ser um plus no roteiro e vale incluir monumentos como a Sagrada Familia, Casa Vicens e Parque Guell.

   Mesmo durante o inverno, todo o agito da cidade concentra-se em um único lugar: Barceloneta. O boulevard, que se estende ao norte da área de Port Olímpic, é composto por restaurantes, lojas e bares movimentados. Uma alternativa para driblar tantos visitantes é o segway, o transporte que percorre a orla em poucos minutos e oferece momentos de pura diversão. No entanto, para quem busca mais tranquilidade, a poucos metros de lá está um oásis no meio de tanto agito: Parque da La Ciutadella. O pulmão verde de Barcelona é um ótimo lugar para relaxar e observar com mais calma a dinâmica da cidade.

_DSC3558

    De fato, Barcelona agrada a todo tipo de público, por isso, a dica é caminhar muito e aproveitar cada cenário e ponto interessantes. As suas ruas impressionam pela beleza, no entanto, a cidade pode ser ainda mais bonita vista de cima. O monte Tibitabo é o ponto mais alto da serra de Collserola e, em seu topo, preserva um dos parques de diversões mais antigos da Europa, onde alguns carrosséis datam a época de sua inauguração – 1908. O lugar ainda conta com o Camí del Cel, um pequeno bosque com uma bela vista panorâmica.

monte-tibidabo3

    Estrategicamente bem posicionada, Barcelona é um ótimo ponto de partida para alguns bate-voltas. A apenas 50 km do centro está um vilarejo surpreendente: Montserrat. Lá é possível encontrar um mosteiro fundado em 1205, a escola de música mais antiga da Europa (com duas apresentações do coro infantil por dia) e inúmeras trilhas com esculturas ao ar livre. Para dar um charme especial ao passeio, o viajante pode optar por subir ao mosteiro de trem cremalheira ou teleférico. O mesmo acontece para o extremo norte – Figueres, e a viagem de trem segue para a cidade natal de outro artista icônico na Espanha, Picasso.

59517533f4c569d

    Reunir dicas da capital da Catalunha em um único texto pode ser considerado uma audácia. No entanto, não posso finalizar esse post sem um roteiro gastronômico. A cidade cosmopolita oferece um mix de restaurantes com sabores típicos e ambientes descolados. Encabeçando a lista está o recém inaugurado El Nacional, considerado o maior espaço gastronômico da Espanha. O lugar reúne quatro restaurantes comandados por Carles Tejedor, chef que ganhou uma estrela Michelin quando pilotava os fogões do Via Veneto. Seu interior tem decoração com toques vintage dos anos 30 e 40, elegante e sóbrio, além de explorar muito bem as divisões dos espaços. Ao centro está um bar com porções variadas e petiscos e, em cada canto do complexo, os restaurantes. 

_DSC3282 _DSC3285

     Montei a programação de restaurantes em Barcelona com a ajuda de um amigo que é chefe de cozinha há anos na cidade. O último lugar que ele havia trabalhado era o Boca Grande, um dos lugares do momento em Barcelona. Escolhemos visitar o lugar em nosso primeiro dia e valeu cada minuto no local. São 3 andares: o primeiro é o restaurante, o segundo é um bar de coquetéis e o terçeiro é um terraço para fumantes. O mais incrível de tudo é que cada andar é totalmente diferente um do outro.  Ambiente, pratos e atendimento impecável.

_DSC3350

_DSC3338

Outra  rua que começa a chamar a atenção dos foodies de plantão é a Carrer del Parlament. O lugar é queridinho dos irmãos Adrià, que abriram todos os seus últimos restaurantes (41o Experience, Tickets, Pakta e Bodega 1900 ) na redondeza. Cada estabelecimento é dedicado a um elemento da culinária típica e referência em sabores. 

PS. Bon Voyage!

Roteiro Espanha – Granada

_DSC3156  Após passar três noites na capital da Andaluzia, Sevilha, seguimos para o próximo destino da viagem –  Granada. A cidade, que possui o mais belo legado árabe da Espanha – Palácio de Alhambraé uma parada emblemática no sul do país. Digo isso, pela variedade de atrações e um cenário repleto de histórias. Seu ambiente se desassocia do pacote espanhol – dança flamenco, jamon e touradas e revela um lugar que reina a arquitetura moura e todos os elementos da cultura da árabe e grega, quando ainda era uma colônia. Para completar esse espetáculo, a bela cidade possui como pano de fundo a Sierra Nevada, uma montanha com picos nevados em grande parte do ano. De fato, Granada encanta por ser única!

_DSC3160

    Fomos para Granada de carro, em um estrada recheada de belezas naturais e vilarejos inteiramente brancos (todos os detalhes aqui). No entanto, uma alternativa para esse trajeto é o trem. A viagem entre Madrid e Granada leva em torno de quatro horas e meia no serviço de alta velocidade da RENFE (fui atualizada pelos comentários que dá para comprar os tickets direto pelo site da companhia e o pagamento é efetuado via paypal – se voce não tem uma conta, vale a pena criar) ou onze horas a partir de Barcelona. O carro perde todo sentido quando se chega em Granada. Seu centro histórico é repleto de vias exclusivas para pedestres e, transitar no local, é garantia de uma multa convertida em euros. Realmente a melhor forma de explorar a cidade é a pé! A principal avenida, Reyes Católicos, é um ótimo ponto de partida no roteiro e conecta o centro histórico ao bairro Albaicin. 

_DSC3009

    A Carrera del Darro é uma das ruas mais antigas de Granada. Caminhar pelo lugar é uma viagem ao tempo: pontes de pedra em arco, construções do século XVI e casas mouras, tudo as margens do rio Darro. A via é o principal acesso ao bairro Albaicín, onde os elementos árabes estão ainda mais presentes. No local, é possível encontrar: antigos hammans (banhos árabes), mesquitas (muitas convertidas em igrejas católicas) e muitas casas pintadas em branco. O distrito foi totalmente listado como patrimônio mundial da UNESCO, atestado de um espaço único na cidade. O pico do local é o mirador San Nicolas, de lá tem-se a mais linda visão da Alhambra, com as montanhas cobertas de neve da Sierra Nevada, ao fundo.

_DSC3023 _DSC3072

    A principal atração de Granada e, monumento mais visitado na Espanha, é La Alhambra. O majestoso complexo de palácios, localizado na colina de Sabika, também é conhecido como a cidade palaciana. O local foi construído nos moldes de uma cidade, com ruas e passagens bem estabelecidas, no entanto sua principal função era proteger os reis muçulmanos. Granada foi o ultimo local sob possessão moura, com isso o lugar foi palco de diversos eventos importantes e ficou marcado por momentos históricos. Dada a tamanha importância, seu interior é preservado e com isso há um limite permitido de visitantes por dia. Com isso, comprar as entradas online é uma grande sacada (o agente para a venda dos ingressos é Ticketmaster), pois apenas 30% de todos os bilhetes disponíveis são vendidos na bilheteria do palácio, e esses desaparecem rapidinho. Ao comprar online, você pode retirar os bilhetes em uma das máquinas no próprio palácio ou em um dos terminais da ServiCaixa espalhados por toda a cidade. Uma dica para quem não comprou os ingressos antecipadamente é chegar cedo no local, entre as 7.30 e 8.30.

_DSC3109 _DSC3142 _DSC3091

    A visita ao palacio de Alhambra não segue um roteiro pronto, o único detalhe é que no momento da compra o visitante opta pelo horário que ira visitar o Generalife, palácio mais importante. Com isso, a regra é caminhar sem pressa em um gigantesco complexo e visitar o maior número de salas. Na entrada, há a opção de audio guias ou impressos.  
_DSC3187
    No inverno, um belo programa, a partir de Granada é esquiar. Há neve na Sierra Nevada no inicio de Novembro até meados de março. A estação fica em Monachill, uma vila a aproximadamente 30km do centro de Granada. Sierra Nevada é a estação favorita dos português e possui uma estrutura muito semelhantes  das européias, no entanto com preços bem mais convidativos. O visitante pode optar em tickets para esquiar ou apenas subir e visitar o restaurante borreguiles. No local, é possível ter uma visão das pistas e toda a montanha. 
_DSC3218
 _DSC3193
 E aí, viajantes, gostaram do post? No proximo, comento sobre um passeio de bicicleta elétrica que fizemos pelo centro de Granada.
PS. Bon Voyage!

Roteiro Espanha – Cidades medievais

_DSC3717    Visitar a Espanha durante o seu período de festividades foi uma das grandes experiências da nossa #familytrip. Digo isso, pela oportunidade de vivenciar os costumes e tradições locais. Algo que chamou muito atenção nas comemorações de final do ano, é a inversão no calendário de festas. Se na América Latina, a primeira semana de janeiro é encarada como um novo ano, por lá os eventos ainda não começaram. O momento do ano mais esperado pelos espanhóis, e principalmente pelas crianças, é seis de janeiro – Dia de Reis. São diversas tradições que envolvem a data, entre elas a Cabalgada: desfile dos três reis magos na avenida principal da cidade. E também nesse dia que os pais entregam os presentes de Natal as crianças e preparam a ceia com comidas típicas. Aproveitamos o feriado nacional para cair na estrada e abaixo compartilho todos os detalhes do roteiro:

Captura de Tela 2015-01-26 às 18.45.51

                   Esse roteiro contempla três cidades medievais (são 361 km no total da viagem)   

    A capital da Espanha, Madrid, é um dos melhores lugares no país para fazer alguns bate-voltas. Além da posição estratégica, a cidade oferece uma grande variedade de transportes. Para fazer a rota das cidades medievais, o viajante pode optar pelo trem <AVE> ou carro. Optamos pela flexibilidade do roteiro e alugamos um carro (modelo bem simples) na locadora europcar. A empresa, possui muita credibilidade no continente e sempre oferece preços competitivos perante os concorrentes. Para iniciar o day tour pela região, retiramos o carro na estação ferroviária – Puerta de Atocha por volta das oito horas e seguimos para a nossa primeira parada: Toledo. 

_DSC3747

    O vilarejo fica a apenas 72km de Madrid, o que possibilita uma visita rápida e descomplicada. A antiga capital da Espanha é uma das cidades medievais mais encantadoras da Europa e está perfeitamente localizada no topo de uma montanha cercada pelo rio Tejo. Chegamos ao local por volta das nove horas e tínhamos a impressão que o lugar estava lá só para nós. Digo isso, pelo costume dos espanhóis de abrir o comércio após as dez horas e, tudo indica, que os ônibus de turismo também seguem a programação. Antes de entrar na cidade, fizemos um caminho até Mirador Del Valle, ótimo ponto para ter uma bela vista panorâmica. No entanto, o centro da cidade também oferece reconhecidos pontos históricos, entre eles: a Puente de San Martin, com certeza uma das estruturas mais impressionantes de Toledo. A ponte foi construída no final do século XIV para facilitar o acesso ao lado oeste da cidade, já que a única ponte em existência antes desta era a Puente Alcantara. Porém, a visita ao vilarejo não fica completa sem uma passada pelo Alcazar, principal monumento de Toledo.

_DSC3749

    A próxima etapa do roteiro é a cidade das muralhas: Avila. O caminho que leva ao local já é uma grande atração da viagem. Optamos por uma rota alternativa, a Serra dos Gredos – uma cadeia montanhosa localizada no centro da península ibérica e declarada como parque regional. O lugar é recheado de picos e mirantes, um cenário perfeito para os amantes de fotografia.

_DSC3760

_DSC3789

    A arquitetura medieval dá charme ao vilarejo de Avila, completamente murada e patrimônio histórico mundial. Sendo assim, o primeiro caminho para explorar o centro histórico é ao redor das muralhas. O trajeto, não muito extenso, proporciona uma bela vista panorâmica da cidade e abre o apetite para o prato típico da região: chuletón, um bife enorme que pode ser acompanhado por batata frita. Para experimentar a iguaria, uma sugestão é o Parador Avila, restaurante fora das muralhas e ambiente tradicional. Com a energia recuperada, é hora de seguir estrada para o próximo destino: Segóvia. A cidade é a cereja do bolo desse roteiro por possuir um ambiente extremamente eclético. Afinal, que lugar poderia ter uma catedral gótica, um palacete árabe e um aqueduto romano em perfeita harmonia? Todos os monumentos são parada obrigatória. Mas Segóvia reserva outras surpresas que agradam não só aos olhos, mas também ao paladar. A cidade, que faz parte da região autônoma Castilla y León, é famosa pela boa gastronomia. O prato típico é o cochinillo, o que para nós é o conhecido leitão. Um dos restaurantes mais emblemáticos para desgustar essa iguaria, e sem dúvida um dos mais procurados pelos visitantes e amantes da boa comida castellana, é o Mesón de Cándido (ao lado do aqueduto). O prato é uma ótima pedida para se despedir desse roteiro e encarar os próximos 90km de volta ate a capital Madrid.

_DSC3831 _DSC3839

 PS: Uma recomendação para quem vai viajar de carro pela Europa (principalmente na Espanha, Portugal e Roma) é para tomar cuidado com bagagem dentro do carro. Nunca se deve deixar bolsas à mostra, e se parar em alguma cidade com todas as malas dentro do carro, deve-se procurar uma garagem fechada. Há quadrilhas especializadas e afiadíssimas neste tipo de roubo. 

PS. Bon Voyage!